Laboratório alerta sobre fotocromismo em diamante CVD

Diamante CVD apresentando fotocromismo.
Fonte: Gemological Science International

Laboratório da Gemological Science International (GSI) alerta para possibilidade de mudança de cor em alguns diamantes sintetizados pelo método CVD (Chemical Vapor Deposition), quando expostos a certos tipos de iluminação.

Durante o processo de análise de um diamante sintético CVD pelo laboratório da GSI, o material foi exposto a raios ultravioleta de alta potência (o valor do comprimento de onda não foi informado pelo laboratório), causando uma mudança de cor no material quase incolor para azul.

A coloração azul no material perdurou por uma semana, tempo que ficou guardado em um cofre, explicou a organização.

Embora diamantes sintetizados pelo método CVD sejam conhecidos por mudarem de cor quando expostos a forte iluminação ultravioleta ou a calor extremo, eles geralmente retornam à sua coloração estável após um periodo de 30 minutos a uma hora de exposição direta à luz solar, observou a GSI.

Entretanto, a gema em questão levou duas horas e meia para retornar à sua tonalidade normal. O laboratório ainda ressaltou que esta mudança de cor pode ocorrer durante o uso casual.

“Ao utilizá-la (joia) ao ar livre, diamantes sintéticos CVD podem mudar de coloração mesmo quando exposto de maneira sutil a radiações eletromagnéticas, como raios ultravioletas numa praia ensolarada ou sob a iluminação de luz negra em casas noturnas, por exemplo”, disse o diretor de informação da GSI (Nicolas Del Re).

A mudança de cor na gema ocorre devido ao Fotocromismo, um processo pelo qual a excitação dos elétrons em defeitos dentro do diamante sintético CVD, causa a mudança em seu estado de energia, afetando a maneira em que as cores são absorvidas no espectro visível, explicou a organização.

“É altamente recomendado que todo diamante sintetizado por método CVD seja submetido a exposição à luz similar a luz solar (lâmpadas que possuem a faixa total do espectro eletromagnético visível) por pelo menos 30 minutos antes da classificação de cor”, informou Del Re.

Notícia veiculada em 4 de Dezembro de 2019 no link:
https://www.diamonds.net/News/NewsItem.aspx?ArticleID=64464&ArticleTitle=Lab+Warns+of+Color+Instability+in+CVD+
E originalmente veiculada, na mesma data, pela GSI em:
https://gemscience.net/gsi-discovers-color-instability-in-cvd-diamonds/

OPINIÃO DO GEMÓLOGO
Observem que apesar de diamantes sintéticos serem materiais já conhecidos e bem estudados, ainda há espaço para novas descobertas ligadas às características físicas, químicas e principalmente a novos tratamentos. Se você escolheu estudar gemologia, mantenha-se sempre atualizado.

Outra curiosidade é que nem todos os laboratórios gemológicos trabalham com classificação de diamantes sintéticos, mas é muito provável que a oferta aumente com o passar do tempo, já que a demanda pode aumentar , e com ela, a rentabilidade dos serviços. Fiquem atentos e bons estudos!